Quem canta seus males espanta não é mesmo? Música é vida, cultura e aprendizado. Desenvolve as emoções, a criatividade e o raciocínio lógico. Te coloca em um momento histórico e com isso te traz sentimentos de pertencimento, dentro de uma cultura e com isso a responsabilidade para redirecioná-la a um caminho melhor. Ficamos feliz em trazer essa novidade.

Jovens de 7 a 14 anos de escolas públicas de seis regiões d Distrito Federal estão tendo a oportunidade de mergulhar no universo da música instrumental, erudita e popular, com o projeto Música na Escola. Taguatinga, Ceilândia, Paranoá, São Sebastião, Sobradinho e Planaltina foram as regiões contempladas com a iniciativa da Tato Comunicação.

O objetivo do Música na Escola é estimular o interesse do público mais jovem para novos repertórios. Segundo a idealizadora do projeto, Jaqueline Dias, o projeto quer colocar jovens alunos em contato com conceitos musicais básicos como o ritmo, levar noções de instrumento e conjunto orquestral e compositores eruditos e populares que se destacam na história da música brasileira e internacional”.

O projeto inclui ainda oficinas introdutórias sobre ritmos para que o público estudantil possa conhecer um pouco da arte antes de assistir às apresentações. “É um momento para que eles já fiquem atentos aos instrumentos e ao o universo musical que irão desvendar no concerto”.

A musicista e doutora em educação musical, Alice Marques, realiza outra oficina direcionada aos professores, com o objetivo de debater a importância da música como conteúdo no currículo, o  papel do  professor, desafios e a música como elemento de construção do ser  humano. Ela também apresenta aos participantes conceitos iniciais de música.

O projeto Música na Escola, realizado com patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura do Distrito Federal (FAC/DF), nasceu da vontade de incentivar ajudar na implantação da prática musical nas escolas, que em 2014 tiveram que colocar se adequar à lei nº 11.769, que tornava obrigatório o ensino de música nas escolas.

A música tem papel fundamental no processo de ensino e de formação do indivíduo. A idealizadora lembra que o objetivo não é formar músicos, mas desenvolver a criatividade, a sensibilidade e a integração entre os alunos. “O ensino de música na escola não tem o mesmo formato de um conservatório. Mas ela pode ser usada como recurso no aprendizado, inclusive de outras disciplinas”, comenta.

Incrível não é mesmo? Parabenizamos os idealizadores do projeto e torcemos para que nossos adolescentes tenham mais acessos a essas instruções de qualidade e cultura.

# Circulação, com patrocínio do FAC/DF,  percorre 6 regiões do DF com o quinteto de metais Brasília Brass

(Matéria sugerida por Tato Comunicações)

Compartilhe:
Escrito por Mayara Cavalcante dos Santos
Arquiteta, Coach e apaixonada por pessoas e planejamento... Amor nato por ouvir e descobrir o melhor de cada um que passa pela minha vida.