Se você tá pensando em ir a África do Sul ou já comprou sua passagem você está a poucos dias de conhecer um dos destinos mais incríveis desse planeta. Esse país é delicioso, leve e cheio de lugares bonitos e cheio de charme.

Fomos para lá na nossa lua de mel, onde passamos 5 dias nas Ilhas Maurício para então retornar ao país do Rei Leão.(Para ler tudo o que você precisa saber sobre as ilhas Mauricio, clique aqui).

Passamos ao todo 10 dias na África do Sul e foi tempo o suficiente para conhecer suas paisagens mais famosas. Fomos também, até Cape Town e Stellenbosch, região das vinícolas próximas a Cape Town e em breve teremos esses posts no Blog. Mas hoje vamos conversar sobre o principal passeio da África do Sul: Safari no Kruger.

É o principal passeio do país e faz jus a fama. É o lugar mais incrível da África do Sul. A sensação de chegar no aeroporto de Hoedspruit (HDS) , que é menor que uma casinha de campo, e ser recepcionada pelo transfer do hotel em um carro todo aberto, com assentos em arquibancada, próprio para Safari é inesquecível.

Quanto tempo ficar?

De acordo com as condições meteorológicas dos nossos bolsos (rsrsrsrs) e tempo de viagem ficamos duas noites. Foi o suficiente para fazermos 4 Safaris (o que eu achei ideal) e ver quase todos os animais que queríamos. Mais que isso pode ficar um pouco repetitivo, até por que é a mesma coisa todos os dias.

Como chegar?

  • De carro, saindo de Johanesburgo, o trajeto leva em torno de 6h, as condições da estrada são ótimas e as vistas deslumbrantes.
  • De avião. Pegamos um vôo direto de Cape Town, que levou em torno de 2h para chegar. Na volta voamos para Johanesburgo, que é cerca de 50min. de vôo. Nosso aeroporto foi o de Hoedspruit (HDS – Foto) ficava há 10km do Kapama River Lodge, hotel que escolhemos para ficar. Existe um outro aeroporto: Aeroporto Internacional Kruger Mpumalanga (KMIA/MQP), procure saber antes se o seu hotel tem transfer ou não e qual aeroporto é mais próximo dele. O Segundo Aeroporto pode ser tão longe de alguns  hotéis que o valor do transfer ultrapassa a diferença do valor da passagem. Além da distância que pode durar algumas horas a mais do Aeroporto para o hotel.

Como funciona o Safari?

O Safari acontece de acordo com o “Alojamento” (Lodge)  que você for ficar, porém de maneiras similares: 2 vezes ao dia, uma de manhã e outra no fim de tarde, ambos com a duração de 3 horas cada.

No nosso hotel (Kapama River Lodge) o telefone do quarto tocava as 5:30h e um lanche da manhã era servido as 6h, para então iniciarmos nossa busca aos Big Five’s as 7:00h, na volta, as 10h o café da manhã em estilo Buffet aguardava por nós. O Safari, gira em torno dos Big Five’s, os maiores animais da Savana: Leão, chita, Búfalo, Rinoceronte e elefante. Ver todos os animais é questão de sorte. Um grupo ao lado do nosso viu a chita, que é um dos animais mais difíceis de se ver e nós não demos a mesma sorte. Foi o único animal que não vimos.

O Safari é uma caça aos animais mesmo, não vá achando que é um passeio no zoo onde todos os animais estarão te esperando, não é! Não tem como prever onde eles estão, por isso o tipo de busca pode ultrapassar uma hora até que se encontre algum animal em meio a selva. Essa é uma parte que pode ser cansativa, mas é o que torna o Safari uma experiência incrível, por que quando você encontra o animal ele está em seu habitat natural, sem interferência humana, ás vezes caminhando, descansando ou caçando. Essa experiência é mágica, te faz se sentir como observador real da vida selvagem e as cenas vão ficar pra sempre em sua memória.

Como os Safaris são realizados de 7 as 10h e depois de 16 as 19h o tempo pode sofrer grandes variações. Fomos em maio e as mínimas foram de 6 graus com máximas de 28 graus. O horário da manhã é o mais frio, com o carro aberto e vento batendo direto no seu rosto é melhor você seguir meu conselho e ir bem agasalhado com cachecol, luva, toca e um belo casaco.

Animais que você muito provavelmente verá: Elefante, leão, búfalo, girafas, porco africano (pumba), veados e cervos, zebras, macaco, animais pequenos tipo esquilos e ratinhos e muitos pássaros.

 

Algumas informações bem difíceis de se achar na internet

A reserva do Krugger é a reserva “pública” de uma grandeee “floresta que se encontra ao Norte da África do Sul. Dentro dessa mesma floresta alguns espaços são privados e cercados (espaços enormes estamos falando), normalmente nessas reservas privadas ficam os chamados Lodges. Que são hotéis voltados inteiramente para o Safári, longe de qualquer tipo de civilização e normalmente incluem, no valor de suas diárias, pensão completa, dois Safaris de 3h por dia cada, sendo 2x ao dia (um as 7h da manhã e outro as 16h da tarde), Wi-fii e em alguns até transfer do Aeroporto pro hotel. Esses hotéis possuem um valor mais elevado porque, além das comodidades citadas acima, o Safari está destinado apenas as pessoas do próprio hotel. Ou seja, a área disputada para ver os animais é mais privada, todos os motoristas e observadores são treinados e trabalham para o hotel, conhecendo muito sobre as rotinas e personalidade dos animais.

Outra opção seria você ficar em hotéis fora das reservas, nas cidades próximas, (o que pode sair bemmm mais em conta) e ter que contratar por fora um bom guia ou então alugar um carro e ir para o Safari por sua conta. O que eu não recomendo, já que os animais têm manias próprias e provavelmente você não terá experiência para lidar com elas. Por exemplo, você sabia que os elefantes odeiam luz noturna, que machuca e incomoda os olhos deles e a maioria de mortes no Safari a noite é por elefantes incomodados com a luz que turistas colocam sobre os olhos deles? Ou que quando você está em um carro do Safari, você não pode colocar a cabeça para fora ou se levantar, por que o animal enxerga o carro como um outro grande animal, e cada movimento pode aparentar uma presa fácil para eles? Enfim, para um Safari sozinho recomendo que você estude muito antes de fazê-lo.

Onde Ficar?

Algumas reservas com hotéis para você se inspirar. Ficamos no Kapama River Lodge. Achei bom, cheio de facilidades, como transfer e estar bem perto do aeroporto de Hoedspruit. O que deixou a desejar foi a quantidade de pessoas hospedadas nesse hotel, eram muitos quartos, o que desqualifica a atenção aos hóspedes e também a quantidade de Brasileiro que tinha nesse local, parecia que estávamos no Brasil pois só ouvíamos português, nada contra, mas quando viajo curto me distanciar um pouco para imergir na cultura local. Minha irmã já ficou na segunda opção e disse que a recepção foi incrível, eram poucos quartos e o cuidado individual foi o ponto forte. Amou o local.

Os outros hotéis encontrei na internet e achei super interessante.

 

Bom, essa é uma experiência realmente inesquecível que não pode faltar na agenda dos desbravadores do mundo. Qualquer dúvida nos deixem aqui nas perguntas para que possamos ajudar vocês. Como estávamos recebendo muito Spam, para inserir sua dúvida, você deverá fazer um cadastro mega rápido!

Hakuna Matata!

Compartilhe:
Escrito por Mayara Cavalcante dos Santos
Arquiteta, Coach e apaixonada por pessoas e planejamento... Amor nato por ouvir e descobrir o melhor de cada um que passa pela minha vida.